sexta-feira, dezembro 28, 2012

Runaways: Lita Ford foi convidada para entrar no Led Zeppelin?


Em entrevista recente, a ex-guitarrista do The Runaways, Lita Ford, disse que tem feito tudo o que pode para promover uma reunião da banda e que tudo agora depende apenas de Joan Jett.

As antigas companheiras, juntamente com Cherie Currie, resolveram suas diferenças durante o verão (no hemisferio norte), depois que Ford se dispôs a marcar jantares com cada uma das ex-integrantes do grupo. Essa foi a primeira vez que Lita falou com Jett desde que a banda se separou em 1980. "Nós tivemos um bom jantar - foi muito amigável, era como ver uma irmã" (...) “Eu não posso tirar um sim ou não de Joan, então eu lavo minhas mãos, mas é agora ou nunca. Eu adoraria (a reunião), mas por alguma razão - e eu não sei o motivo - é algo de Joan. A bola está com ela. E cabe a ela resolver "

Jett e sua banda, os Blackhearts, este ano foram indicados para a indução do Rock And Roll Hall of Fame, mas não obtiveram sucesso.

Enquanto isso, Ford continua com sua carreira solo, trabalhando em um álbum ao vivo e uma autobiografia.

Uma história que poderia figurar no livro é a noite em que Robert Plant e Jimmy Page foram ver as Runaways na década de 1970 - e Plant pediu-lhe para substituir John Paul Jones no Led Zeppelin.

Ela recorda: "Eles vieram para a Starwood e entraram no nosso vestiário. Então eles nos cumprimentaram e uma enorme multidão ficou reunida em torno de nós, e nós tiramos fotografias.”

Robert Plant olhou para mim e me disse: 'Você é realmente boa na guitarra. Você gostaria de tocar baixo para o Led Zeppelin?

"Eu pensei, 'Sim, certo." Eu reagi como se fosse uma piada, mas eu acho que ele não estava brincando. Eu nem sequer pensei nessa possibilidade. Eu amo John Paul Jones - ele é um dos meus baixistas favoritos. Eu simplesmente não conseguia me imaginar o substituindo”.

"Mas o fato de que eles pensavam sobre ter uma mulher na banda foi muito legal."



Fonte: Runaways: Lita Ford foi convidada para entrar no Led Zeppelin? http://whiplash.net/materias/curiosidades/170483-litaford.html#ixzz2GMZbQqzs

quinta-feira, dezembro 27, 2012

Cretin: transexual rompe barreiras no metal extremo


Quem vê Marissa Martinez no palco de um show da banda de grindcore Cretin pode imaginar que ela é só mais uma mulher que venceu as barreiras do preconceito e conquistou seu espaço com a guitarra em punhos e os agressivos vocais guturais. E está certo. Em termos. Marissa é sim uma mulher liderando uma banda de metal extremo, em um ambiente amplamente machista e muitas vezes preconceituoso. O detalhe é que, há apenas cinco anos, Marissa era um cabeludo e barbudo, chamado Dan.

A norte-americana de 37 anos se declara a primeira transexual do metal extremo – pelo menos, a primeira a abrir o jogo em relação ao tema. Em 2007, Dan resolveu passar a Marissa, pondo fim a anos de sofrimento e negação que vivia na vida pessoal, que não a permitia ser o que ela chama de "eu mesmo". O longo processo de transformação, que envolve cirurgias, tratamento hormonal e psicológico, foi vencido. Uma coisa, no entanto, permanece a mesma, a sua dedicação à banda. De saia, decote e maquiagem, mas com os mesmos vocais guturais de outrora, a novidade é o apoio de antigos e novos fãs e até cantadas dos mais atirados.


Leia a matéria completa no UOL Música, no link abaixo.



http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2012/12/21/pioneira-no-metal-extremo-t...

Versão completa: UOL Música |

Fonte: Cretin: transexual rompe barreiras no metal extremo http://whiplash.net/materias/news_832/170155-cretin.html#ixzz2GGmOetsJ

domingo, dezembro 16, 2012

O NÚMERO 3 E OS CELTAS

Os Celtas acreditavam que o número 3 e que todos seus múltiplos eram sagrados.

Mas o que terá o número 3 de sagrado ? Qual seu significado ?

O número 3 tem a vibração do Planeta Jupiter, planeta da expansão,representa o idealismo, o movimento,educação superior e fé. É o número das Tríades Sagradas e representa o corpo, mente e espírito. 1-2-3 foram os primeiros números que o homem compreendeu, a formação de um triângulo pai-mãe- filho.

Para a cultura Celta, há duas configurações primárias que simbolizam o sagrado três: São o trefoil, moldado como o trevo irlandês, e o triângulo invertido, freqüentemente referido como o Triângulo da Manifestação. O interessante é que eles consideravam os múltiplos de 3 com a mesma importância que o 3, e o mais importante múltiplo de três era o nove – a manifestação natural do três vezes o três.

Quando a ciência da matemática começou a se tornar mais popular no século XVII, os Celtas acharam que eles estavam certos na sua escolha do nove como manifestação de um número mágico. Nove não era apenas o múltiplo natural de três, mas era também o número que podia voltar magicamente a si mesmo, e assim ele passou a ser um símbolo do poder criativo e da energia.

O nove também foi associado em muitas culturas aos mistérios da lua e, como a lua, o nove volta a si mesmo, não importa como ele é manipulado.

Teste você mesmo. Multiplique qualquer número por nove, some os números da soma resultante e você terá o nove. Isso nunca falha. Por exemplo, multiplique 9 por 5. O resultado é 45. Separe o 4 do 5, some-os, e você terá o 9.

O triskle (triskele, triskelion ou tryfot), achados arqueológicos em terras Celtas, da Irlanda à Europa Oriental, atesta sua ampla adoção pelos Antigos. Sua forma tem a ver com o fluxo das estações e, por consequência, representa a própria Deusa Tríplice (Donzela, Mãe e Anciã), bem como as 3 fases da lua (crescente, cheia e minguante) e Os 3 Reinos Celtas.

Os 3 reinos Celtas, eram vistos da seguinte forma:

- O Céu que está sobre nossa cabeça, ele nos oferece o Sol, a Lua, as estrelas e as chuvas que fertilizam o solo.

- A Terra que está sob nossos pés, ela nos dá o alimento, nos abriga e faz tudo crescer, são as raízes fortes das árvores.

- O Mar é a água que está em nós, representa o Portal para o Outro Mundo, ela sacia a sede e nos dá a vida, pois sem a água tudo perece e morre.

Essa cosmologia é bem diferente dos quatros elementos da visão Grega, pois os Celtas viam tudo na forma de tríades. E cada reino era visto como um grande caldeirão sustentado por 3 pernas, que por sua vez, também possuíam mais 3 atributos (Mundos).

Os 3 mundos são compostos da seguinte maneira:

- O Outro Mundo: onde os espíritos, Deusas e Deuses vivem.

- O Mundo Mortal: onde nós e a natureza vivemos.

- O Mundo Celestial: onde as energias cósmicas como o Sol, a Lua e o vento se movem.

"Para os Celtas, a vida significava movimento e dinamismo, e por isso não havia alternativa possível: descartada a opção de ficar quieto, sob pena de ser destruído pela incessante ondulação da existência, a única coisa que restava a fazer, era seguir andando com ela." Em seus símbolos o movimento é nítido, basta observar.

por Papoula Brasil

Om Shanti


quinta-feira, dezembro 13, 2012

Secult divulga projetos habilitados ao Prêmio Linduarte Noronha



A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) divulgou na edição do Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (13), a relação dos projetos habilitados que concorrem à 2ª edição do Prêmio Linduarte Noronha. O Prêmio é promovido pela Secult e o Fundo de Incentivo à Cultura ‘Augusto dos Anjos’. Ele contempla as categorias Curta Metragem, Revelando a Paraíba e Desenvolvimento da Atividade Cineclubista.

O ‘Linduarte Noronha’ tem o intuito de estimular a produção audiovisual. O Governo do Estado disponibiliza um montante de R$375.000,00 para a produção de obras e atividades cineclubistas. A 2º edição da premiação traz um montante maior que a primeira, que foi de R$150 mil. As inscrições foram abertas no mês de novembro.

De acordo com o edital do Prêmio, a seleção é realizada em duas etapas (habilitação e seleção). Para curtas-metragens, a seleção consistirá de quatro roteiros inéditos, aos quais serão disponibilizados apoio financeiro para a produção no montante de R$37.600,00. Os projetos poderão ser nos gêneros de ficção, documentário, experimental ou animação, com duração entre 10 e 26 minutos.

A modalidade Revelando a Paraíba se diferencia pelo objetivo de incentivar produtores que estão iniciando a carreira, não sendo necessária a comprovação de experiência anterior na área. Serão contemplados 13 roteiros inéditos, que receberão uma premiação no valor bruto de R$12.600,00.

A novidade desta segunda edição é a categoria Renovação e Desenvolvimento da Atividade Cineclubista. Serão selecionados 10 projetos, onde cada um receberá o montante bruto de R$5.500,00.

O resultado da seleção deve ser divulgado no dia 18 de dezembro, no Diário Oficial do Estado e na internet (www.paraiba.pb.gov.br/cultura).


Linduarte Noronha

O Edital é uma homenagem a um dos expoentes do cinema paraibano. Precursor do Cinema Novo, Linduarte tornou-se referência para o cinema brasileiro a partir de sua obra mais célebre, o curta-metragem Aruanda, obtendo grandes repercussões estéticas e inspirando cineastas como Glauber Rocha. Linduarte Noronha foi repórter, crítico de cinema, procurador do Estado e professor do Departamento de Comunicação da Universidade Federal da Paraíba. Faleceu em janeiro deste ano, deixando um longo histórico de contribuição ao Estado paraibano.

 
Confira os projetos habilitados por categoria:
 
Categoria - Curta Metragem
 
- Ciumeira / Diego Benevides
- Areia vermelha / Ana Bárbara
- Skaz / Ian Abé Santiago
- Stanley Suicidou-se / Paulo Roberto de Souza Junior
- Detetives / Gian Orsini
- O canto do retardatário / Deleon Souto Freitas da Silva
- Um brinde / José Bruno de Almeida
- A fábrica sinistra / Sílvio Toledo
- Mãe Potiguara / Alessandra Alves F. Rodrigues
- Boca do dia / José Diones dos Santos
- Santa Rosa / João Paulo Feitosa C. Palitot
- Robin e Batman em o cansaço da espera / Otávio Teixeira C. Neto
- Memórias da resistência / Elinaldo José Rodrigues

 
Categoria - Revelando a Paraíba
 
- Adios, Jampa Vieja / Virginia de Oliveira
- A Lua dos Gaiamuns / Manoel Fernandes Neto
- O vendedor de armas / Éric Medeiros
- Muito além do olhar / Maria de Fátima Medeiros Fernandes
- Sobre Cabelos / Lincoln Ferdinando Oliveira
- Sopros da memória / Euzanir dos Santos
- Paraíso dos homens / Antonio Gomes Pereira Neto
- Sensações de um fugitivo / Sophia Padilha Menezes
- A metade de um homem / Maria P. Pires Santos
- Retorno a Puxinanã / Robson Luiz da Silva
- A virgem e o diabo / Cicero Alves Barros
- O apocalipse de cada dia / Bruno Vinelli Nunes
- Sophia / Kennel Régis Nunes
 - Numa sala de reboco / Ana Célia Silva Gomes
- Indomável / Felipe Santos Duarte Levorato
- Ricardo um grande homem / Marcelo Bruno A. Cardans
- Eu tenho um psiquiatra / Gláucio Pereira de Souza
- Meu vício é você / Jocildo Bezerra de Mesquita
- Herdeiras da mentira / José França de Oliveira
- Latitude 19 / David Bruno Silva Alves
- O lendário escritor de frases de biscoito da sorte / Marcelo Q. Gonçalves
- Ponto de fusão / Luciana de Souza França
- Beleza na pobreza / Tomaz Caetano Dutra
- O chão do acaso / Bernado Teodorico C. Souza
- Universo do hip hop – Paraíba hap / Geraldo Pedrosa Miranda
- Sedução clandestina / João Paulo Paiva de Lima
- As nascentes de um povo forte / Jean Pierre dos S. Silva

 
Categoria – Desenvolvimento da Atividade Cineclubista

- Tin Tin Cineclube / Liuba de Medeiros
- Utópia e Barbarie / Café Cultura Santa Luzia